Tarso e Yeda são alvo no debate gaúcho

Os candidatos Yeda Crusius (PSDB), que busca a reeleição, e Tarso Genro (PT), líder das pesquisas, foram os principais alvos dos demais concorrentes no debate da RBS TV, o último do primeiro turno da campanha eleitoral para o governo do Rio Grande do Sul, na noite desta terça-feira. O petista foi provocado por José Fogaça (PMDB), segundo colocado nas pesquisas e interessado em levar a eleição para o segundo turno.

ELDER OGLIARI, Agência Estado

29 de setembro de 2010 | 01h25

Numa discussão sobre incentivos fiscais, o peemedebista lamentou que o PT tenha votado contra a concessão de benefícios à General Motors na década de 90 e prometeu trabalhar para atrair novos investimentos. Tarso disse que seu eventual governo vai incentivar a base produtiva legal e submeter demais projetos à análise técnica. A tucana, que busca a reeleição, foi provocada pelo candidato do PSOL, Pedro Ruas, que lembrou que ela foi relacionada como um dos réus de uma ação de improbidade administrativa movida pelo Ministério Público Federal no ano passado contra supostos participantes e beneficiários de desvios no Detran.

Yeda sustentou que o réu é Ruas, que responde a processo movido por seu ex-marido, Carlos Crusius, por calúnias. "O senhor fugiu, avocou sua imunidade parlamentar para não responder, essa é a sua maneira de fazer política", fustigou.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2010debateTV GloboRS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.