Tarso e Olívio disputam espaços no PT gaúcho

Os participantes estrangeiros talvez nem percebam, mas em cada ato do Fórum Social Mundial também se desenrola uma batalha política local, entre o governador Olívio Dutra e o prefeito de Porto Alegre, Tarso Genro, pela indicação do partido à candidatura ao governo do Estado nas eleições deste ano. Durante o Fórum de Autoridades Locais, os holofotes estavam voltados para Tarso, em diversas reuniões e conferências que o prefeito presidiu com convidados ilustres de diversas partes do mundo. Agora, no Fórum Social Mundial, é Olívio quem recebe personalidades e comanda solenidades.Uma decisão do Ministério Público Estadual, anunciada na terça-feira e que teve sua repercussão sufocada pelos inúmeros eventos do Fórum, pode favorecer Olívio na disputa interna. O governador era acusado de improbidade administrativa pelo relatório da CPI que investigou a segurança pública no estado durante o ano passado. O arquivamento da matéria, por falta de elementos que caracterizassem atividades ilícitas, livrou Olívio de um processo que o atingiria em plena campanha eleitoral.Até então, o desgaste causado pela CPI ao governador poderia ser usado como argumento dos defensores da candidatura de Tarso. Agora, Olívio está fortalecido dentro do partido porque poderá, em campanha, defender-se de ataques dos partidos adversários. A força da decisão do Ministério Público pode ser medida pela manifestação do vice-governador, Miguel Rosseto às rádios locais na quarta-feira, quando disse que agora não há mais motivos para uma disputa prévia e que Olívio deve ser ungido candidato.Tarso Genro vinha dizendo que se o partido entendesse que suas chances de derrotar os adversários são iguais às de Olívio, retiraria sua pré-candidatura. Mas nem o resultado de uma pesquisa encomendada pelo PT ao Ibope, que indicou perspectivas semelhantes, e nem a reviravolta desta semana, alteraram sua disposição de concorrer. Hoje, o prefeito disse que vai inscrever seu nome para as prévias, marcadas para 17 de março, para atender pedido de seus apoiadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.