Tarso diz que Lula não ofereceu vaga de vice ao PMDB

O ministro de Relações Institucionais, Tarso Genro, não confirmou a versão do presidente do PMDB de São Paulo, Orestes Quércia, de que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva teria oferecido aos peemedebistas a vaga de candidato a vice-presidente numa chapa pela reeleição. "Não houve um oferecimento de candidatura a vice", disse Tarso. O ministro explicou: "O governador Quércia deve ter colocado o seguinte, que é verdadeiro: o presidente Lula mencionou que, se fosse candidato e se o PMDB optasse por uma coligação, obviamente o PMDB teria toda a força política, pela dimensão nacional que tem, para indicar o vice nessa chapa. Mas não houve oferecimento de vice, até porque não era uma reunião partidária, e isso é uma questão dos partidos."O ministro disse que o encontro desta quarta-feira entre o presidente Lula e Quércia "foi aproximativa com o ex-governador e se discutiu o conceito de unidade para um próximo período - seja jurídico, seja político".Já ao comentar a reunião que ele teve nesta quarta-feira com os senadores Renan Calheiros (PMDB-AL) e José Sarney (PMDB-AP) e com o deputado Jader Barbalho (PMDB-PA), o ministro afirmou que "já existe um acordo explícito, confirmado por eles. Eles querem esta fórmula: Lula presidente, com ou sem coligação".A definição do nome do vice, segundo Tarso Genro, seria uma questão do PMDB. Sobre a possibilidade de José Alencar, o atual vice-presidente, passar para o PMDB e ser mantido numa chapa de reeleição, Tarso respondeu: "Nós não trabalhamos esta questão do vice, até porque o nome do atual vice José Alencar é um nome muito cogitado. Não só pelo partido, por aliados nossos e por apoiadores dos demais partidos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.