Tarso diz esperar que reforma política seja votada em 2007

O ministro de Relações Institucionais, Tarso Genro, disse esperar que a reforma política seja votada ainda no primeiro semestre de 2007. A declaração ocorreu após visita ao deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP) e ao senador Renan Calheiros (PMDB-AL), na qual elogiou os atuais presidentes da Câmara e do Senado e todos os seus antecessores.Tarso lembrou, durante o encontro, que a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) concluiu uma proposta de reforma política na primeira semana de dezembro, mesmo período em que o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social estará concluindo a sua. Segundo o ministro, essas duas propostas serão encaminhadas ao Congresso.O ministro disse que, nas reuniões com Aldo, primeiro, e com Renan, depois, tratou das votações previstas no Congresso até o final do ano e ressaltou a importância de uma discussão sobre reforma política. A uma pergunta se o governo apóia ou não a reeleição dos dois, o ministro disse, primeiro, que o Palácio do Planalto não tem competência nesse assunto e não poderia se manifestar a respeito; depois, declarou: "Se quer saber o meu juízo a respeito da conduta dos presidentes das (duas) Casas, todos os presidentes que trabalharam nesses quatro anos trabalharam muito bem." A visita de Tarso aos presidentes das duas Casas no momento em que se discutem a eleição das novas Mesas Diretoras e a reforma ministerial criou expectativa de que esses assuntos também fossem tema das audiências com Rebelo e Renan, mas nem o ministro nem os parlamentares falaram sobre isso.Tarso relatou que pediu a Aldo Rebelo a aprovação em segundo turno da emenda que criou o Fundeb.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.