Tarso defende decisão da OAB sobre impeachment

O ministro das Relações Institucionais, Tarso Genro, afirmou nesta segunda-feira, no Palácio do Planalto, que a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), ao rejeitar a proposta de apresentação de pedido de impeachment do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, teve a dignidade de não fazer o jogo "ordinário" da parte da oposição que quer o afastamento do presidente. Tarso relatou que Lula ficou satisfeito com a notícia, embora já previsse o resultado da votação desta segunda-feira na OAB, que arquivou a proposta por 25 votos a sete. "Ele (Lula) estava e está com a consciência tranqüila", afirmou o ministro. "Quando a OAB põe um ponto final nessa questão do impeachment, ela chama à razão a sociedade brasileira, para se comportar dentro de parâmetros mínimos de dignidade política", completou. "Para a oposição, (a OAB) disse o seguinte: ´Vocês querem o governo? Ganhem a eleição. Não é através de impeachment´."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.