Tarso dedica dia à posse na Secretaria de Segurança

O governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), reservou a maior parte de seu tempo hoje para acompanhar a transmissão dos cargos dos antecessores para os novos ocupantes da Secretaria de Segurança, Airton Michels; da diretoria da Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe), Gelson dos Santos Treiesleben; do comando-geral da Brigada Militar (BM), coronel Sérgio Roberto de Abreu; e da chefia da Polícia Civil, delegado Ranolfo Vieira Júnior.

ELDER OGLIARI, Agência Estado

03 de janeiro de 2011 | 19h51

Outros dez secretários e o diretor da Companhia Rio-Grandense de Saneamento (Corsan) também receberam os cargos durante o dia, mas sem a presença do novo governador. O primeiro escalão tem 30 integrantes.

Tarso não pretende marcar o início de sua gestão com o anúncio de medidas radicais. Sua equipe estuda a viabilidade de negociar a convocação extraordinária da Assembleia Legislativa para votar três projetos de ajustes da estrutura administrativa. Um deles prevê a extinção de 148 cargos em comissão com remuneração de R$ 600 a R$ 800 por mês.

O segundo reajusta vencimentos de cerca de 518 coordenadores, de valores entre R$ 1,2 mil a R$ 1,8 mil para R$ 4,3 mil, para tornar os postos atrativos a profissionais capacitados e também disputados pelo mercado. O terceiro limita o salário dos diretores de estatais ao teto estadual de R$ 24,5 mil.

O governo gaúcho também está elaborando carta-consulta ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e ao Banco Mundial para obter financiamentos de R$ 2 bilhões para projetos de infraestrutura em pequenos municípios e modernização administrativa.

Tudo o que sabemos sobre:
posseSegurançaTarso GenroRS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.