Tarso culpa FHC pelo caso Bové

O prefeito da capital gaúcha, Tarso Genro (PT), responsabilizou diretamente o presidente Fernando Henrique Cardoso pela atitude da Polícia Federal de notificar o ativista francês, José Bové, para que ele deixasse o Brasil em 24 horas. "O fato foi provocado pela postura hostil de Fernando Henrique ao Fórum, que contaminou as instituições", afirmou à AE, deixando claro que o partido não tem nada a ver com o caso. " A PF agiu por causa da postura arrogante e autoritária do presidente". Na noite de segunda-feira, agentes da PF detiveram o líder camponês na garagem do Hotel Plaza San Raphael e o levaram para o setor de passaportes da polícia. Em coletiva após o encerramento do Fórum Social Mundial, o governador Olívio Dutra (PT) transmitiu solidariedade a Bové, dizendo que não tinha observação nenhuma a fazer sobre a atuação da PF, pois estava comemorando o fato de que não houve nenhum incidente durante o evento. "Não houve nada que colocasse em risco a vida das pessoas", afirmou. "Bové é um cidadão do mundo, e nos sentimos dignificados por termos pessoas que são solidárias com a luta dos outros", disse Olívio em coletiva, após o ato de apoio ao francês, no encerramento do Fórum Mundial Social. "Ele é uma figura importante e séria pela luta dos trânsgênicos, e merece nosso respeito". O governador reiterou a disposição do Estado em não aceitar a produção dos transgêncios e exigiu o cumprimento da lei. É a lei federal que diz que nenhum alimento que possa causar danos à saúde possa ser produzido e vendido. Para o deputado estadual Frederico Antunes (PPB), que na segunda-feira apresentou uma queixa-crime contra o camponês francês, que originou a ação da PF, a polícia foi ?soft? com ele (Bové). "Se fosse um brasileiro na França, teria sido preso e deportado", afirmou. Antunes admitiu que o caso é negativo para o Fórum, mas fez questão de dizer que nunca citou o governo estadual em nenhuma acusação e apóia o evento.Apesar da satisfação em ser novamente anfitrião do encontro no próximo ano, conforme decisão do comitê organizador de realizá-lo em Porto Alegre, Olívio negou que o Fórum tenha dado mais projeção ao PT. ?O Fórum não é de nenhuma entidade isolada, é da sociedade. Prossegue a luta em um patamar superior?, afirmou. Os números do evento, apresentados pelo governador na coletiva, superaram as expectativas, ficando acima do divulgado inicialmente. Estiveram no encontro 4.702 delegados representando 117 países, 104 painelistas de 36 países, 165 convidados, 2.000 participantes do acampamento da juventude, 700 representantes das nações indígenas, e 1.870 jornalistas credenciados de 764 veículos de comunição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.