Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

Tabata sai às pressas do plenário da Câmara ao ser questionada sobre expulsão do PDT

‘Não vou falar com a imprensa, desculpa’, afirma deputada, que pode deixar partido após votar a favor da reforma da Previdência

Camila Turtelli, O Estado de S.Paulo

11 de julho de 2019 | 22h10

A deputada Tabata Amaral (PDT-SP) tem evitado declarações à imprensa desde que foi ameaçada de expulsão por seu partido pelo voto a favor da reforma da Previdência. Ao ser abordada nesta quinta-feira, 11, no plenário da Câmara, ela saiu às pressas. “Não vou falar com a imprensa, desculpa.”

O PDT orientou seus parlamentares a votarem contra a proposta, mas oito deputados declararam voto a favor. 

A deputada publicou em seu Twitter, um vídeo falando sobre os motivos que a levaram a votar a favor da proposta. “Meu voto pela reforma da Previdência não foi vendido, é por convicção. A bancada da educação continua lutando pela manutenção da aposentadoria especial dos professores”, afirmou.

Desde quarta-feira, 10, a parlamentar tem sido assediada por outros partidos que estariam prontos para abrigá-la, caso ela decida sair do PDT. Entre eles o Cidadania e o DEM.

A aprovação do texto-base da reforma da Previdência por 379 votos favoráveis no plenário da Câmara dos Deputados, contou com 19 votos de parlamentares de partidos da oposição que encaminharam votação contra o texto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.