Suspensa liminar que impedia compra de diamantes dos índios

O governo conseguiu suspender a liminar, concedida pelo juiz federal Mark Yshida Brandão, que impedia a Caixa Econômica Federal (CEF) de comprar diamantes dos índios cinta-largas na Reserva Roosevelt, em Rondônia.O presidente do Tribunal Federal da 1ª Região, desembargador Aloisio Palmeira Lima, atendeu ao pedido da União de retomada da aquisição por parte da CEF, sob a alegação de que a interrupção da medida "acarretaria efetivo desordenamento nas ações da administração pública, planejada para entrega dos diamantes, com grave risco de conflito social na região e prejuízo financeiro para a União".Na sua decisão, o presidente do tribunal aceitou o argumento do governo de que a paralisação das negociações em curso, por efeito da liminar, poderia gerar a um "confronto direto entre os índios e a força policial convocada para assegurar a normalidade dos entendimentos que estavam sendo mantidos em clima de paz, com plena aceitação dos índios".Ele lembra, ainda, que "a região tem sido palco de conflagração entre garimpeiros e índios, a exemplo do conflito ocorrido em abril do corrente ano que deixou saldo de cerca de 29 pessoas mortas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.