Suspeitos de espionagem no governo Yeda viram réus

A Justiça de Canoas, na região metropolitana de Porto Alegre, aceitou denúncia do Ministério Público a abriu processo hoje contra três suspeitos de prática de espionagem durante o governo de Yeda Crusius (PSDB). Segundo a acusação, o sargento da Brigada Militar César Rodrigues de Carvalho acessava dados sigilosos de políticos, jornalistas, advogados, delegados e oficiais da Brigada Militar no Sistema de Consultas Integradas da Secretaria da Segurança Pública a mando do ex-chefe de gabinete de Yeda Ricardo Luís Lied e do tenente-coronel da reserva e ex-chefe de gabinete da ex-governadora Frederico Bretschneider Filho.

ELDER OGLIARI, Agência Estado

12 de maio de 2011 | 19h50

Quando a investigação se tornou pública, em setembro do ano passado, os três negaram ter cometido irregularidades. O juiz Fernando Henning manterá o processo sob sigilo porque os autos contêm informações protegidas por lei, como, por exemplo, conversas telefônicas interceptadas e dados bancários e fiscais de um dos acusados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.