Suspeito nega ter assassinado prefeito do PT

Wanderson Nilton de Paula Lima, de 22 anos, conhecido como "Andinho", negou esta sexta-feira ter sido o autor, ou mandante, do assassinato do prefeito Antonio da Costa Santos (PT), atingido por um tiro no último dia 10, no bairro da Vila Brandina, cidade de Campinas, em São Paulo.Esta quinta-feira, a Polícia Federal divulgou observações acerca do crime. Essas observações, enviadas na última quarta-feira ao ministro da Justiça, José Gregori, apontam várias hipóteses possíveis para o assassinato, mas citam um único nome como suspeito no relatório: Andinho, condenado por tráfico de drogas e acusado de participar de vários seqüestros e assaltos a condomínios em Campinas nos últimos anos.Segundo o relatório da PF, o traficante teria interesse na morte do prefeito porque seria dono de uma frota de peruas clandestinas que opera na cidade de Campinas. O suposto negócio de Andinho no transporte coletivo teria sido prejudicado pelas alterações feitas pela Prefeitura do PT na distribuição de linhas e no maior controle dos alternativos.As observações da PF não configuram investigação paralela. Servem apenas de subsídios, solicitados pelo Ministério, para que Gregori se inteire sobre o caso. A PF ainda não entrou oficialmente nas investigações sobre o crime, que completa hoje 12 dias sem qualquer solução por parte da Polícia Civil de Campinas.Diante da informação sobre o relatório da PF divulgada quinta-feira, Andinho tomou a iniciativa de telefonar ao Programa Repórter Central, da Rádio Central AM, apresentado pelo jornalista Antonio Bargas Filho. Na conversa por telefone, o suspeito disse ser vítima de informações equivocadas da Polícia, pediu provas concretas sobre a acusação que agora pesa sobre ele e negou veementemente ter qualquer envolvimento no caso. Negou ser dono de peruas clandestinas, afirmou não ter envolvimento com tráfico de drogas e disse que tampouco é membro do Primeiro Comando da Capital (PCC), como alega a Polícia. Afirmou também que na noite do crime não estava em Campinas. Andinho está foragido da Penitenciária 3 (P-III), do complexo Hortolândia/Campinas, desde julho de 2000. As informações são do site Cosmo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.