Suspeito de repassar dados do Metrô a empresa suspeita de cartel pede demissão

Pedro Benvenuto entregou cargo no governo de SP após reportagem revelar encontros com lobista

O Estado de S. Paulo

26 de setembro de 2013 | 13h47

Secretário executivo do Conselho Gestor do Programa de Parcerias Público-Privadas governo estadual, Pedro Benvenuto pediu demissão do cargo nessa quarta-feira, 25, após ver revelado uma série de encontros seus com um representante de empresas apontadas como integrantes do cartel de trens em São Paulo.

Benvenuto, que entre 2006 e 2009 coordenava gestão e planejamento na Secretaria de Transportes Metropolitanos, é suspeito de vazar informações para o esquema nesse período. Funcionário de carreira, Benvenuto voltará a seu posto original no Metrô.

Segundo reportagem do jornal Folha de S.Paulo publicada na terça-feira passada, Benvenuto manteve reuniões com Jorge Fagali Neto, lobista de empresas suspeitas no caso do cartel.

A Corregedoria-Geral da Administração já convocou Benvenuto para prestar esclarecimentos sobre o caso na semana que vem. O órgão corregedor do Estado vai analisar se houve ilegalidade no repasse dos dados para Fagali Neto, bem como investigar se as informações eram ou não de caráter sigiloso.

O Ministério Público teve acesso a e-mails datados de 2006 que mostravam que Benvenuto enviou as informações antes de eles se tornarem públicos. Auxiliares do Palácio dos Bandeirantes afirmaram que Benvenuto enviou para o lobista apenas planilhas com previsões orçamentárias do Metrô.

Fagali Neto é investigado desde 2008 pela Polícia Federal por suspeitas de intermediar pagamento de propina da multinacional francesa Alstom a políticos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.