Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Suspeita de infecção interdita setor neonatal de hospital

A Secretaria Municipal de Saúde e Vigilância Sanitária de Londrina, no norte do Paraná, interditou, de forma cautelar, a unidade de recém-nascidos, maternidade, alojamento conjunto, centro obstétrico e Unidade de Terapia Intensiva neonatal do Hospital Evangélico. Duas crianças morreram neste mês, e suspeita-se que possam ter sido contaminadas pela bactéria klebsiella. Enquanto se processa a desinfecção total do hospital e controle sobre outros bebês, análises estão sendo feitas para saber se essa bactéria poderia ter agido sozinha, ou se há outra variante.A primeira morte ocorreu no dia 9, quando uma criança com 15 dias de vida foi vítima de septicemia. Após a morte, foi coletada secreção das outras 12 crianças do berçário. O exame apontou a presença da klebsiella em sete. Uma delas morreu sexta-feira, quando a secretaria foi acionada pelo hospital. Em outras três a resposta foi negativa e, de duas, ainda não há resultados. O que deixa os técnicos intrigados é que essa bactéria não é comum em recém-nascidos e dificilmente causaria morte isoladamente. Os adultos que tiveram contato com as crianças também estão sendo analisados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.