Suspeita de chantagear juiz, mulher de Cachoeira deixa PF

Andressa Mendonça prestou esclarecimentos e terá de pagar fiança de R$ 100 mil; delegado a proibiu de visitar o marido na prisão

Rubens Santos, de O Estado de S.Paulo - atualizado às 18h58

30 de julho de 2012 | 12h54

A mulher do contraventor Carlinhos Cachoeira, Andressa Mendonça, foi liberada após prestar esclarecimentos na Superintendência da Polícia Federal em Goiânia, na manhã desta segunda-feira, 30. Segundo a PF, ela é suspeita de tentar subornar um juiz federal para beneficiar seu marido em julgamento.

 

De acordo com a Policia Federal, a mulher de Cachoeira teria procurado o juiz federal, Alderico da Rocha Santos, em seu gabinete, na quinta-feira da semana passada. Momentos após a audiência dos réus na Operação Monte Carlo. Foi quando ela teria dito ao juiz estar de posse de uma dossiê contra ele, que seria veiculado pela Revista Veja. Teria escrito ainda num papel o nome de outras três pessoas que seriam denunciadas por meio do suposto dossiê. O juiz entendeu a situação como corrupção ativa, previsto pelo Código Penal, e acionou a PF. Segundo informações do G1, o dossiê foi preparado pelo jornalista Policárpio Júnior, da surcursal de Brasília da Veja, e seria a moeda de troca de um alvará de soltura para Cachoeira.

 

Em comunicado, a revista afirmou que seu departamento jurídico "está tomando providências para processar o autor da calúnia que tenta envolver de maneira criminosa a revista e seu jornalista com uma acusação absurda, falsa e agressivamente contrária aos nossos padrões éticos".

 

Após cerca de três horas na Superintendência da PF, Andressa saiu sem óculos escuros, cabeça baixa, sem dar entrevistas e sem distribuir sorrisos como de hábito. De acordo com o delegado Sandro Paes Sandre, da Policia Federal em Goiás, ela terá de pagar fiança de R$ 100 mil em até três dias, em dinheiro. Caso contrário, será decretada a prisão preventiva.

 

O delegado informou ainda que Andressa está proibida de ter contato ou visitar Cachoeira, preso desde o mês de fevereiro, e atualmente detido na Penitenciária da Papuda (DF). Como é monitorada pela PF, Andressa também está impedida de entrar em contato com pessoas vinculadas ao processo da Operação Monte Carlo.

 

Segundo a PF, a mulher do bicheiro chorou muito, no momento em que foi detida. Na casa dela, a polícia apreendeu dois computadores, tablets, celulares e documentos.

 

Tudo o que sabemos sobre:
cpi do cachoeiraandressa mendonça

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.