Surto de pneumonia dá sinais de enfraquecimento em Hong Kong

Hong Kong registrou hoje três novas vítimas fataisda Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars), o número diário mais baixo das últimas três semanas.Os três mortos de hoje elevam para 187 o número total de vítimas da doença em Hong Kong, onde se verifica também um abrandamento no número de novos casos detectados (oito hoje).Os novos casos de infecção com Sars registrados hoje, dois dos quais em profissionais de saúde, elevam para 1.637 o número total notificado desde a eclosão local do surto em meados de março.Para o chefe da Saúde do governo de Hong Kong, Tung Chee-hwa, os novos números refletem que "a Sars está sendo controlada". Por isso, pretende discutir com aOrganização Mundial de Saúde (OMS) a suspensão da advertência de visitas a Hong Kong (que é um território autônomo da China), emitida pela Organização em meados de março.Tung Chee-hwa anunciou ainda um plano de ação, no valor de 1 bilhão de dólares de Hong Kong (112,35 milhões de euros), destinado a revitalizar o setor do turismo e a economia local.Um dos objetivos principais do plano, que inclui também a criação de um Centro de Controle de Doenças, consiste em reforçar as condições de higiene ambiental em Hong Kong, onde é notória a insalubridade nalgumas zonas, "demodo a prevenir situações como a que Hong Kong agora enfrenta", disse Tung Chee-hwa.O chefe do governo adiantou que o secretário- chefe do governo, Donald Tsang irá chefiar um grupo de trabalho, batizado "Team Clean" (Equipa Limpa), com a atribuição de desenvolver estratégias de melhoramento da higiene ambiental a curto e longo- prazo."Turistas e investidores devem sentir-se seguros quando viajarem para Hong Kong", disse Tung Chee-hwa.Entretanto, de acordo com o diretor-executivo da Autoridade Hospitalar de Hong Kong, Liu Shao-haei, as novas vítimas fatais anunciadas hoje são homens com idades entre 66 e 86 anos.Os números oficiais indicam que o número total de casos de Sars registrados em Hong Kong inclui 77 doentes internados em cuidados intensivos e outras 930 pessoas que já tiveram alta hospitalar, depois de recuperarem da infecção, 13das quais hoje.Depois de uma primeira eclosão no sul da China em novembro de 2002 e de um surto inicial em fevereiro, a Sars manifestou-se em março em Hong Kong, de onde alastrou para o resto do mundo.A doença, mais conhecida por pneumonia asiática, já matou cerca de 500 pessoas, com mais de 6 mil casos de infecção em cerca de 30 países. Veja o índice de notícias sobre a pneumonia atípica

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.