Surfistas detidos pegam seis meses de prisão domiciliar

A Justiça dos Estados Unidos aplicou pena de seis meses de prisão domiciliar aos surfistas brasileiros Misael Mendonça Cabral, 29 anos, e Daniel Correia, 26 anos, que foram presos no dia 26 de outubro, no aeroporto de Miami, pelo FBI, sob acusação de terrorismo. Os dois tentavam embarcar para o Brasil, com destino a João Pessoa e ao Rio de Janeiro, quando afirmaram que havia uma bomba na bagagem."Cuidado que aí tem uma bomba", disse Cabral aos fiscais americanos, se referindo a uma bomba de sucção que seria utilizada na fabricação de pranchas de surfe de areia. O pai de Cabral, Francisco Cabral Sobrinho, disse nesta quarta que a família ficou aliviada ao tomar conhecimento da sentença. "Após ouvir as versões da Polícia e dos dois rapazes, o juiz americano concluiu que não havia necessidade para tanta rigidez na pena", declarou.Inicialmente, ele recebeu informações de que o filho passaria cinco anos preso e teria que pagar multa de US$ 250 mil. Segundo ele, Cabral e o amigo receberam braceletes com chips para serem localizados com facilidade pela Polícia e ficarão sob a responsabilidade da mãe de Daniel, Hilda Correia, que mora nos Estados Unidos.Após cumprirem a pena, os dois serão mandados de volta para o Brasil. "Estou mais tranqüilo, porque pedia a Deus o melhor e ele vai voltar daqui a seis meses. Vou juntar dinheiro para dar uma festa quando ele chegar", disse Sobrinho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.