Surfista brasileiro sai da cadeia e fica detido em casa nos EUA

O surfista paraibano Misael Mendonça Cabral, 29 anos, foi liberado, terça à tarde, da prisão do Departamento de Imigração dos Estados Unidos, em Miami, onde passou 34 dias presos sob acusação de terrorismo, após ter dito a autoridades americanas que conduzia uma bomba na bagagem, ao embarcar para João Pessoa.Na capital paraibana, a mãe de Misael, Ângela Mendonça Cabral, disse que ele ficará em prisão domiciliar durante 90 dias, até ser julgado. Ele ficará na casa de Hilda Patton, mãe de Daniel Correia, que foi preso pelo mesmo motivo e também está em prisão domiciliar, há duas semanas, em Miami.Os dois são acusados de terrorismo. Terão liberdade vigiada. Misael saiu da prisão com um aparelho de monitoramento preso ao tornozelo. Ele só pode se movimentar nas dependências da casa de Hilda. Se sair na rua, o aparelho emite um alarme, que aciona a Polícia e ele retorna para a prisão.Para que Misael tivesse direito à prisão domiciliar, sua família teve que pagar fiança de US$ 15 mil. Cerca de US$ 3 mil, segundo sua mãe, foram emprestados por Hilda Patton. O restante foi conseguido por um fiador americano. Segundo Ângela, Misael está triste e deprimido quando deixou a prisão.Os dois foram presos no dia 26 de outubro, quando tentavam embarcar, no aeroporto de Miami, para o Brasil, com destino a João Pessoa e ao Rio de Janeiro. Na ocasião, afirmaram que havia uma bomba na bagagem. "Cuidado que aí tem uma bomba", disse Cabral aos fiscais americanos, se referindo a uma bomba de sucção que seria utilizada na fabricação de pranchas de surfe de areia. "A mala pode explodir", acrescentou Misael. Imediatamente os dois receberam voz de prisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.