Supremo revoga caráter sigiloso do inquérito sobre mensalão

O relator do inquérito do mensalão no Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa, decidiu que o inquérito que investiga o pagamento de mesadas a parlamentares, que antes corria sob segredo de Justiça, deve correr sem a proteção do sigilo e aberto a publicidade, ressalvadas as informações protegidas legalmente por sigilo.Em curto despacho, o ministro determinou a notificação dos acusados para que, no prazo de 15 dias, respondam à denúncia. "Revogo o segredo de Justiça anteriormente decretado", afirma o ministro em seu despacho, determinando, ao mesmo tempo, à Secretaria do Tribunal que lacre os documentos que estejam protegidos pelo sigilo bancário, fiscal e telefônico.A denúncia, envolvendo 40 pessoas, foi encaminhada ao STF no último dia 30 pelo procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, mas este fato só foi divulgado hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.