Supremo abre inquérito para investigar Renan Calheiros

Por solicitação do procurador-geral daRepública, Antonio Fernando Souza, o Supremo Tribunal Federal(STF) abriu nesta segunda inquérito para investigar opresidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). De acordo com a assessoria do STF, o inquérito servirá paradar base a eventual denúncia do procurador contra Renan, quepor ser senador tem direito a foro privilegiado. O ministroRicardo Lewandowski foi designado relator do inquérito, queserá feito pelo Ministério Público e pela Polícia Federal. O procurador-geral pode oferecer denúncia sobre os aspectoscriminais do processo em exame no Conselho de Ética do Senado,mas não sobre a acusação de quebra de decoro parlamentar, queenvolve um juízo político, segundo a assessoria do procuradorAntonio Fernando. O Conselho examina documentos apresentados por Renan parajustificar ganhos com agropecuária, sob suspeita de fraude,sonegação e falsidade ideológica. O PSOL vai representar contra Renan no Conselho também pordenúncias de favorecimento ilegal a uma cervejaria e supostautilização de laranjas para controlar uma empresa decomunicação em Alagoas. As novas denúncias também serão investigadas no inquéritodo Supremo se forem aceitas pelo Conselho de Ética, disse oprocurador-geral a jornalistas. Com base nas investigções,Antonio Fernando poderá apresentar denúncia contra Renan ao STFou pedir arquivamento do inquérito por insuficiência de provas. (Por Ricardo Amaral)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.