Suplicy: Sarney não pode ficar sem explicar denúncias

O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) defendeu há pouco, em discurso na tribuna do Senado, que o senador José Sarney (PMDB-AP) deixe a presidência do Senado. "Não vejo como o senador José Sarney continue na presidência do Senado Federal enquanto sua excelência não explicar satisfatoriamente sobre todas as denúncias apresentadas ao Conselho de Ética", disse. Eduardo Suplicy listou, durante seu discurso, todas as acusações que foram apresentadas contra Sarney no Conselho de Ética - da edição de atos secretos à responsabilidade pela Fundação José Sarney, investigada por desvio de dinheiro de patrocínio cultural da Petrobras.

CAROL PIRES, Agencia Estado

25 de agosto de 2009 | 19h56

"O País não aguenta mais tantas denúncias sem resposta. Entretanto, várias dúvidas persistem: ainda não foram suficientemente esclarecidas. Apesar dos apelos, pessoal meu, da bancada do PT, do líder do PT, o senador Sarney não se dispôs a comparecer ao Conselho de Ética e esclarecer inúmeras questões", observou.

José Sarney já havia deixado o plenário do Senado quando Eduardo Suplicy iniciou seu discurso. O peemedebista foi avisado por Suplicy de que seria alvo de um "duro discurso", mas deixou a sessão sob a justificativa de que tinha compromisso inadiável no gabinete.

Tudo o que sabemos sobre:
SenadoJosé SarneyEduardo Suplicy

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.