Suplicy prevê Delfim Neto no governo Lula

O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) disse nesta terça-feira, em discurso na tribuna do Senado, que não se surpreenderia se o presidente Lula convidasse o deputado Delfim Neto (PMDB-SP) para sua equipe. "Para colaborar, por exemplo, no Banco Central, porque, dada a sua experiência e aquilo que tem refletido, penso que ele poderia trazer uma contribuição positiva", justificou. Delfim tem sido um dos críticos mais ácidos da cautela do BC na condução da política de juros. De acordo com o senador, Delfim - que foi ministro duas vezes no regime militar - tem hoje uma "visão crítica" do que ocorreu naqueles anos. "Obviamente, no âmbito de um governo como o do presidente Lula, que é um amante da democracia, jamais estaria Delfim Neto considerando sugerir medidas que não fossem de pleno respeito às formas democráticas". Para o senador, a morte do ex-ditador do Chile Augusto Pinochet é "um momento de reflexão" contra qualquer tentativa de retrocesso na América Latina. "Só quero dizer que avalio que as reflexões de Delfim Neto junto ao Copom seriam adequadas e interessantes". O senador Heráclito Fortes (PFL-PI) entendeu as palavras como "uma preparação para que a nação aceite, sem traumas, a presença de Delfim Neto no governo renovador de Lula". Em aparte, senadores criticaram Lula por atingir o arquiteto Oscar Niemeyer - que vai completar 100 anos - com a declaração de que uma pessoa idosa, se é de esquerda, tem problemas.

Agencia Estado,

13 Dezembro 2006 | 08h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.