ANDRE DUSEK/ESTADÃO
ANDRE DUSEK/ESTADÃO

Suplicy lamenta a morte do amigo Plínio de Arruda Sampaio

Senador conta que visitou ex-deputado no último domingo e relembra amizade desde a adolescência

Valmar Hupsel Filho, O Estado de S. Paulo

08 de julho de 2014 | 21h49

São Paulo - O senador Eduardo Suplicy (PT) lamentou nesta terça-feira, 8, a morte do amigo Plínio de Arruda. "Vou participar do velório e do enterro e se puder vou à Brasília amanhã (quarta) para fazer um discurso em homenagem a um dos maiores brasileiros que já conheci", disse. "Sempre tivemos uma relação de carinho, amizade e fraternidade", disse.

Suplicy disse que visitou o amigo no último domingo no hospital Sírio Libanês, onde ele estava internado para tratamento de um câncer ósseo. O senador contou que, mesmo estando bastante debilitado, Plínio fez questão de cumprimentá-lo. "Primeiramente a enfermeira disse que ele estava muito debilitado, mas depois ela mesmo avisou que ele queria falar comigo. Ele estava de fato muito enfraquecido de com dificuldade para falar, mas ele me reconheceu e falou de maneira que achei muito bonita".

Suplicy lembrou que eles eram amigos desde sua adolescência. "Tivemos assim uma interação muito forte. E assim foi ao longo de toda nossa vida".

O ex-deputado Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) faleceu aos 83 anos em decorrência de "falência múltipla de órgãos e sistemas".

Tudo o que sabemos sobre:
Plinio Arruda Sampaio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.