Suplicy elogia combate à fome, mas critica cupons

O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) elogiou o programa "Política de Combate à Fome Projeto Fome Zero" do Instituto Cidadania e da Fundação Djalma Guimarães, que está sendo discutido no sindicato dos Bancários de São Paulo com a presença do presidente de honra do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, além de políticos, representantes sindicais e pesquisadores. Suplicy não aprova, no entanto, a distribuição de cupons como forma de completar a renda mínima das famílias pobres para comprar alimentos, conforme prevê o projeto. "Este cupom eu comprei no centro de São Paulo. Defendo o combate à fome, mas acredito que o problema só será resolvido quando as famílias tiverem direito a uma renda mínima", afirmou Suplicy, após entregar a Lula um tíquete refeição e um vale-transporte, alegando estar preocupado com a hipótese de os cupons do programa também serem comercializados no mercado informal. Durante o seu discurso, o senador citou a campanha de combate à fome do sociólogo Betinho, uma passagem da Bíblia e defendeu a regulagem de estoques de alimentos. Para ele, a entrega de cestas básicas adotada atualmente pelo governo federal também não é suficiente para sanar o problema: "É humilhante para quem as recebe, além de beneficiar algumas empresas produtoras dos alimentos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.