Suplicy e Padilha lamentam morte de Plínio Sampaio

O senador Eduardo Suplicy (PT) e o candidato do partido ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha, manifestaram, nesta terça-feira, 8, pesar pela morte do ex-deputado Plínio de Arruda Sampaio. Em entrevista logo depois da derrota do Brasil, Suplicy pediu para falar do ex-companheiro de partido, disse que comparecerá ao velório e que pretende ir a Brasília para fazer um discurso em homenagem ao político.

JOSÉ ROBERTO CASTRO, Agência Estado

08 de julho de 2014 | 21h25

"Vou visitá-lo, vou visitar a família. Estarei no velório e se puder vou a Brasília fazer um discurso, em homenagem a um dos maiores homens públicos brasileiros que conheci", afirmou Suplicy. O senador falou de sua relação de "carinho, amizade e fraternidade" com Plínio e disse que o amigo sempre o apoiou, mesmo depois de trocar o PT pelo PSOL em 2005.

Suplicy contou da última visita que fez a Plínio, já debilitado, no Hospital Sírio-Libanês, no início desta semana. "Estive anteontem (domingo) no hospital Sírio-Libanês. Ele estava de fato muito enfraquecido e com dificuldades de falar, mas me reconheceu e falou de uma maneira que eu achei bonito."

Padilha lembrou dos tempos em que trabalhou na campanha de Plínio para o governo de São Paulo em 1990. "Sempre foi um grande brasileiro. É uma perda para o Brasil, para a democracia brasileira. Alguém que sempre teve um grande compromisso com o papel e a importância do setor rural no desenvolvimento do nosso País". Plínio foi um dos grandes defensores da reforma agrária no Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.