Suplicy diz que Jader atendeu sua recomendação

O senador Eduardo Suplicy (PT) aprovou a decisão de Jader Barbalho(PMDB) de se licenciar do Senado. "Jader atendeu à mensagem que lheenviei. Eu encaminhei um ofício a ele há três dias indicando essecaminho", disse hoje Suplicy. O senador esteve hoje em Campinas paraparticipar da palestra de encerramento da 13a edição do Congresso deLeitura do Brasil (Cole), na Universidade Estadual de Campinas(Unicamp). Segundo Suplicy, sua expectativa é que agora Jader concorde em assinaro requerimento da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Corrupçãopara apurar fraudes no governo, priorizando as denúncias de seuenvolvimento com o desvio de recursos da Superintendência deDesenvolvimento da Amazônia (Sudam), dos Títulos de Dívidas Agrárias(TDAs) e do Banco do Estado do Pará (Banpará). Segundo o senador, se ficar comprovado que Jader "faltou com averdade", o Senado deverá pedir sua cassação. Caso isso ocorra, ouJader decida renunciar, serão convocadas novas eleições para apresidência da Casa e o PT deverá indicar um candidato, conformeSuplicy. "O candidato será escolhido pelo partido", explicou, evitandoantecipar favoritos. O petista disse ser prematura a disputa de partidos pela presidênciado Senado. Ele lembrou que, com a licença de Jader, assume Edison Lobão(PFL). Caso o afastamento seja definitivo, por renúncia ou cassação, aíserá convocada uma nova eleição. A questão dos suplentes, de acordo como senador, é mais complicada. "Se ficar comprovado que os suplentes de Jader também estão envolvidosnas denúncias de corrupção, teremos um problema sério no Senado",apontou Suplicy. Literatura e tietagemEduardo Suplicy chegou pouco antes das 14 horas ao Ginásio deConvenções da Unicamp, onde participou da palestra de encerramento doCole. Para percorrer o curto trajeto entre a sala da organização doevento e a mesa de debates, teve que enfrentar um batalhão de fãsmunidas de máquinas fotográficas e empenhadas em obter uma foto ao ladodo senador. Dezenas delas se acotovelavam para conseguir o feito ou, pelo menos,um autógrafo. Suplicy tentou atender a todas, sempre com um sorrisosimpático. Distribuiu abraços e cumprimentos. O senador foi convidado para falar sobre democracia, política edesigualdade social no debate que encerrou o Congresso de Leitura. Eleexplicou que os assuntos estão relacionados ao tema do livro que estáescrevendo, intitulado Em Direção a Uma Renda de Cidadania. A obra,conforme Suplicy, deverá ser lançada no mercado ainda este semestre. De acordo com a organização do Cole, pelo menos cinco mil pessoas seinscreveram para participar da palestra do senador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.