Suplicy desiste e anuncia apoio a Mercadante em São Paulo

Senador esteve com o Diretório Estadual do PT e recebeu apelos para que a sigla se unisse em torno do nome de Mercadante

Anne Warth, da Agência Estado

29 de março de 2010 | 13h37

O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) desistiu de sua candidatura ao governo de São Paulo e anunciou apoio ao senador Aloizio Mercadante (PT-SP) para a disputa do cargo. Em reunião realizada na manhã desta segunda-feira, 29, Suplicy esteve com o Diretório Estadual do partido e recebeu apelos para que a legenda se unisse em torno do nome de Mercadante.

 

"Todos os membros da Executiva que usaram a palavra pediram muito que houvesse espírito de unidade entre nós do PT. Eles avaliaram que a candidatura que poderia unificar melhor as bases do partido e que estava com respaldo da direção era a de Mercadante", afirmou o senador, em entrevista à Agência Estado. "Avaliei que não faz sentido eu fazer uma campanha em que todos membros do partido recomendem que o candidato seja outro."

 

O senador disse que a direção do partido levou em conta o desprendimento de Mercadante, que abriu mão de tentar a reeleição ao Senado para participar de uma disputa difícil contra o pré-candidato do PSDB, Geraldo Alckmin. Na pesquisa Datafolha divulgada hoje, Alckmin aparece com 53% das intenções de voto, contra 13% de Mercadante. No cenário com Suplicy, Alckmin aparece com 49%, contra 19% do petista.

 

"Todos fizeram apelo para que eu abrisse mão da candidatura em favor de Mercadante, em que pese ter havido um bom resultado para mim na Datafolha", afirmou. "Mercadante vai ter condições para reverter os índices. Ele tem a qualificação necessária para participar dos debates e vai ter a oportunidade de esclarecer diversos pontos na campanha."

 

A decisão de Suplicy deixa o caminho livre para Mercadante e para a ex-prefeita Marta Suplicy, que vai disputar o Senado. Há dez dias, o prefeito de Osasco, Emídio de Souza, também desistiu da pré-candidatura ao governo de São Paulo em favor de Mercadante. Suplicy pretende marcar uma reunião para explicar aos 3.530 filiados que assinaram documento em favor de sua candidatura os motivos de sua desistência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.