Suplicy acredita que convenção-quadro sobre fumo será aprovada

O presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, Eduardo Suplicy (PT-SP), disse nesta quarta que a proposta de ratificação da convenção-quadro internacional para o controle do tabaco deve ser aprovada pelos senadores. Falta ser realizada uma audiência pública para ouvir os produtores de tabaco, no Rio Grande do Sul, e ser apresentado o parecer do senador Fernando Bezerra (PTB-RN).A proposta já foi aprovada pela Câmara e está tramitando no Senado desde 21 de maio. Em 24 de junho, foi encaminhada à comissão de Relações Exteriores. Já foi feita uma audiência pública para ouvir o ministro da Saúde, Humberto Costa, e cientistas sobre o assunto. "Na em hora que o senador Fernando Bezerra apresentar seu parecer vou pôr a matéria em votação. Pelo que eu sei, o relator vai apresentar parecer favorável à proposta", afirmou Suplicy.A pedido dos senadores do Rio Grande do Sul - Paulo Paim (PT), Sérgio Zambiazi (PTB) e Pedro Simon (PMDB) - Suplicy disse que marcou uma audiência pública em Santa Cruz do Sul (RS), região produtora de fumo, para ouvir os produtores. "Acho democrático e respeitoso ouvi-los", justificou a Suplicy em referência às preocupações da Organização Mundial de Saúde (OMS) quanto à realização da audiência. "Os produtores de fumo sabem que eu sou favorável à convenção-quadro. Na convenção, há uma série de medidas para que, gradualmente, se substitua a produção do tabaco por outras culturas" por causa da certeza de que o cigarro faz mal à saúde, declarou o senador.Preocupado em garantir maioria para aprovação da proposta, o ministro da Saúde, Humberto Costa, tem conversado com os senadores. Ele acusou a indústria do cigarro de usar os produtores de fumo e senadores da República contra a aprovação da convenção-quadro. "A indústria do cigarro está confundindo os pequenos produtores e os senadores. Os representantes da indústria estão dizendo que, aprovada a convenção, teremos de acabar com a produção. Não é isso. Vai haver uma substituição gradual da cultura do tabaco e será com ajuda financeira", afirmou. "Alguns senadores estão embarcando nessa confusão e alguns estão fazendo política", disse o ministro.Em 27 de agosto, Costa apresentou à Câmara o projeto de ratificação da convenção. E acrescentouPara que a convenção entre em vigor, é necessário que 40 países aprovem a proposta cujo objetivo é tentar reduzir os efeitos do fumo na saúde da população mundial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.