Reprodução
Reprodução

Suplente de ministro de Temer tietava Dilma em redes sociais

Durante a campanha de Dilma Rousseff à reeleição, em 2014, Cidinho Santos publicou mensagens de apoio à então candidata

Isabela Bonfim, O Estado de S.Paulo

13 de maio de 2016 | 17h02

BRASÍLIA - O senador Blairo Maggi (MT), que recentemente se filiou ao PP, apoiou abertamente o impeachment e na quinta-feira, 12, foi nomeado ministro da Agricultura do presidente em exercício Michel Temer. Com isso, abre a vaga para seu suplente, Cidinho Santos, que, por sua vez, se mostrou um forte apoiador de Dilma Rousseff em anterior passagem pelo Senado Federal.

Cidinho assumiu a vaga de Blairo Maggi brevemente por duas vezes, em 2012 e 2014, por razão de licenças do titular. Na época, o senador fez forte campanha por Dilma e seu apoio ao agronegócio. Em suas redes sociais, desatualizadas desde 2014, Cidinho não poupou elogios à presidente petista.

"Não sou filiado ao PT, mas me vejo obrigado a reconhecer os avanços dos governos de Lula e Dilma", escreveu em outubro de 2014, às vésperas das eleições. Ainda em período de campanha eleitoral da presidente, Cidinho se se declarou "pró-Dilma" e defendeu que o agronegócio devia reconhecer os avanços na "era" da presidente.

Ele também aparece sorridente em fotos ao lado da presidente. Em uma rede social, o então senador em exercício publicou foto de encontro com Dilma e o presidente da Rússia, Vladimir Putin.

Nesta época, Blairo Maggi também fez campanha pela presidente. Ele deixou de apoiá-la, entretanto, já em 2015, pouco depois do início do novo mandato. Quando Blairo se filiou ao PP, na última quarta-feira, 11, mesmo dia da sessão do impeachment no Senado, Cidinho também anunciou nova filiação. O partido faz parte agora da base de Temer.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.