Suplente de deputado que renunciou no DF está preso

O suplente do deputado distrital Júnior Brunelli (PSC), que renunciou hoje para não ser cassado, é Geraldo Naves (DEM), preso pela Polícia Federal por tentativa de suborno a uma testemunha do "mensalão do DEM". O deputado tem 30 dias para assumir a vaga, de acordo com regimento da Câmara.

CAROL PIRES, Agencia Estado

02 de março de 2010 | 19h07

A defesa dele informou hoje que o deputado pode assumir o mandato, caso ganhe habeas-corpus esta semana, mas deve, logo em seguida, pedir licença enquanto se defende da denúncia. O segundo suplente é Washington Mesquita (DEM).

Além de Brunelli, também renunciou ao mandato Leonardo Prudente (ex-DEM). Por terem renunciado, os processos por quebra de decoro parlamentar contra Brunelli e Prudente foram extintos. A deputada Eurides Brito (DEM), em contrapartida, anunciou hoje que responderá à ação no cargo. Ao final do processo, pode ter o mandato cassado e a inelegibilidade decretada.

Prudente, Brunelli e Eurides Brito foram filmados durante as investigações da Polícia Federal. Brunelli é protagonista de um vídeo no qual conduz uma fervorosa oração - apelidada de "oração da propina" - ao lado de Leonardo Prudente, no qual agradecem pela vida de Durval Barbosa, ex-operador do esquema e hoje principal testemunha da investigação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.