Supermercado é condenado por constranger cliente

O supermercado Wal-Mart Brasil terá de pagar indenização de 50 salários mínimos (R$ 9 mil) à secretária Ana Cláudia Gomes Travassos pelo constrangimento sofrido, após o alarme antifurto do estabelecimento ter sido acionado apesar de ela ter pago as compras.Seguranças e o gerente da loja de Bauru, no interior de São Paulo, teriam abordado a consumidora, insinuando que ela poderia ter escondido algum objeto. Com a chegada de policiais militares, a bolsa de Ana Cláudia foi revistada e as compras, conferidas.Foi constatado então que o caixa não tinha desmagnetizado a etiqueta de segurança de uma tesoura de unha de R$ 8,78. A secretária encaminhou uma ação à Justiça pedindo uma indenização de R$ 864 mil. Na Justiça de São Paulo ela perdeu. Mas o STJ reformou a decisão fixando a indenização em 50 salários mínimos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.