Superior Tribunal de Justiça interrompe julgamento da Satiagraha

Ministro Gilson Dipp votou contra pedido da defesa do banqueiro Daniel Dantas pela anulação das investigações, mas ministra Laurita Vaz pediu vistas do processo

Agência Estado

05 de maio de 2011 | 18h43

BRASÍLIA - O ministro Gilson Dipp, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), votou nesta quinta-feira, 5, contra o pedido dos advogados do banqueiro Daniel Dantas para que sejam anuladas investigações da Operação Satiagraha.

Para a defesa do banqueiro, foi ilegal a participação nas apurações de integrantes da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN). Por esse motivo, segundo os advogados, as provas devem ser consideradas nulas e a ação que condenou Dantas a 10 anos de prisão por corrupção deve ser extinta.

Em março, os ministros do STJ Adilson Macabu e Napoleão Nunes Maia Filho tinham votado a favor da concessão de um habeas corpus em favor do dono do grupo Opportunity. Hoje, após o voto de Dipp, o julgamento foi interrompido por um pedido de vista da ministra Laurita Vaz. Além dela, faltam votar outros dois ministros da 5ª Turma do STJ. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.