Superfície fria da Lua esconde "coração" quente

Bastam dois segundos e meio para um raio laser ir da Terra à Lua e voltar. Mas foram necessários 33 anos de experiências do gênero para cientistas terem uma visão fugaz do que talvez seja o maior segredo da Lua: que bem por baixo de suas crateras frias e paisagem rochosa fica um coração quente e generoso. A descoberta, se confirmada, pode fortalecer a teoria de que a Lua nasceu na violência. Leia mais no Estadão

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.