Superfaturamento anula licitação de obra do TRF no DF

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) anunciou ontem que a obra para construção da nova sede do Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª. Região, em Brasília, era superfaturada em R$ 35 milhões. O superfaturamento provocou a anulação da licitação. Segundo o CNJ, havia na obra ?uma série de vícios? que poderiam causar graves prejuízos para os cofres públicos. Caberá ao Ministério Público apurar quem é o responsável pelas irregularidades. O presidente do CNJ, Gilmar Mendes, o procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, e o presidente do TRF, Jirair Meguerian, assinaram um termo de compromisso suspendendo a construção, que já estava em andamento.

AE, Agencia Estado

19 de maio de 2009 | 09h22

De acordo com informações divulgadas ontem pelo CNJ, além do superfaturamento, foram descobertos o pagamento de serviços não previstos no contrato, a realização de serviços de fundação em desconformidade com os estudos técnicos e a falta de um cronograma de desembolsos. Também foi detectado que havia uma superdimensionamento do projeto. ?O superdimensionamento da obra é fator impactante no seu alto custo, podendo-se caracterizar como um projeto que não atende ao preceito constitucional da economicidade?, concluiu o CNJ. Segundo o órgão, o projeto prevê ?quase a duplicação do tribunal?. O conselho concluiu que essa quase duplicação seria bastante improvável de ocorrer. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
TRFsuperfaturamentoobra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.