Suíça tem outro indício de pagamento de propina

Um ex-executivo da Alstom preso na Suíça teria confirmado aos investigadores europeus que de fato houve pagamentos de propinas a funcionários públicos no Brasil pela empresa e que um dos esquemas usados ocorria via Uruguai. Mais de US$ 50 milhões teriam sido remetidos desse modo em quase uma década. A Justiça suíça agora acredita que a fraude não tenha parado em 2003.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.