Suécia promete construir 40% de seus jatos no Brasil

A Suécia melhorou sua oferta na concorrência para vender 36 jatos ao Brasil, prometendo que 40% dos supersônicos Gripen serão construídos no Brasil. A oferta se soma à promessa de que o Brasil terá acesso total à tecnologia usada nos aviões.

REGINA CARDEAL, Agencia Estado

17 de setembro de 2009 | 20h02

Uma oferta semelhante ajudou a dar à França o status de candidato preferido para o contrato avaliado entre US$ 4 bilhões e US$ 7 bilhões. "O governo sueco e a montadora Saab estão 100% comprometidos em fazer a transferência de tecnologia", disse o secretário de Defesa da Suécia, Hakan Jevrell, em entrevista à imprensa em Brasília, acompanhado por um representante da Saab. "Não haverá restrição na transferência de tecnologia", disse Jevrell.

Jevrell disse que, além da tecnologia, a Suécia oferecerá ao Brasil "um preço muito competitivo" pelos caças.

Neste momento, a francesa Dassault lidera a concorrência, que é também disputada pela norte-americana Boeing. A oferta da Suécia está em linha com as exigências manifestadas pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que disse querer garantir transferência de tecnologia e construção dos aviões no Brasil.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
caçasSuéciapropostaFrança

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.