Sudam pode pedir indisponibilidade de bens

O advogado-geral da União, ministro Gilmar Ferreira Mendes, informou hoje que a Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) poderá fazer ainda esta semana os primeiros pedidos de indisponibilidade de bens dos acusados de fraudar a autarquia, como o empresário mato-grossense José Osmar Borges, ex-sócio do presidente do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA), acusado de desviar mais de R$ 100 milhões.Segundo Gilmar Mendes, "está havendo um trabalho integrado entre o interventor da Sudam, José Diogo Cyrillo, e todos os órgãos envolvidos. Esperamos que nos próximos dias tenhamos esses primeiros pedidos".Defendendo a agilidade nas investigações, Mendes aponta uma série de mecanismos que podem ajudar na eficácia dos trabalhos. De acordo com ele, as investigações sobre os desvios da Sudam, iniciadas há mais de 4 anos sem ainda ter sido deflagrada nenhuma denúncia pelo Ministério Público, podem ser resultado de "dificuldades para conclusão do processo ou ter como efeito um trabalho exposto muito abrangente".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.