Sudam: PF apreende documentos em 14 locais

Agentes da Polícia Federal do Pará, cumprindo mandado da Justiça Federal de Palmas (TO), apreenderam em 14 locais de Belém, Ananindeua e Benevides, microcomputadores e documentos em empresas, residências e escritórios de funcionários e ex-funcionários da Sudam envolvidos em fraudes na elaboração de projetos e liberação de recursos do órgão. Ninguém foi preso. O superintendente da PF, Geraldo Araújo, não revelou os nomes das pessoas citadas no mandado, nem seus endereços."A qualidade desse material eu não sei qual é nem quero saber. Mandei embalar tudo e remeter para a Justiça do Tocantins", resumiu Araújo. O material deve seguir nesta quarta-feira para Palmas. Esta foi a segunda operação do gênero no Pará nos últimos dez dias.Na semana passada, a primeira investida dos agentes resultou em 27 prisões preventivas decretadas pela Justiça em três estados.Os empresários paraenses reunidos hoje na sede da Federação das Indústrias (Fiepa) divulgaram documento defendendo a continuidade da política de incentivos fiscais na Sudam. Para eles, os incentivos são "fundamentais" para o desenvolvimento da Amazônia."A Sudam não é só corrupção, como tem mostrado a mídia. Temos 121 projetos sérios, desenvolvidos por empresários honestos nos últimos 20 anos, que geraram 21 mil empregos e renda na região", afirmou o empresário Luciano Guedes.Os empresários informaram que enviaram hoje ao ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, um projeto sobre o novo modelo de desenvolvimento da região tendo como suporte a manutenção dos incentivos fiscais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.