Sudam não investigará contrato de Jader

O interventor da Sudam, José Diogo Cyrillo, disse que a sociedade entre a mulher do senador Jader Barbalho (PMDB-PA), Márcia Cristina Zaluth Centeno, e o empresário José Osmar Borges, acusado de desviar R$ 133 milhões da autarquia, não será investigada pelo órgão. "Não vou investigar sociedade de pessoas", afirmou o interventor. "O que interessa saber é se os projetos são irregulares", acrescentou. O Ministério Público Federal investiga Borges há anos. Ele é apontado como um dos maiores fraudadores da Sudam. Cyrillo informou que, nos próximos dias, mais um lote de projetos será cancelado, a exemplo do que foi feito na semana passada. A Sudam cancelou a liberação de dinheiro para sete projetos beneficiados com incentivos fiscais. Os empresários, donos desses projetos, serão processados na Justiça Federal para devolver os R$ 190 milhões que já receberam, segundo o interventor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.