Sudam: 21 acusados de fraude são soltos no TO

A Justiça Federal de Tocantins e o Tribunal Regional Federal concederam habeas-corpus para todas as 21 pessoas acusadas de envolvimento em fraudes na Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) que estavam presas no Estado. Entre elas, Maria Auxiliadora Barra Martins, considerada uma das principais líderes do esquema. O empresário Geraldo Pinto da Silva, que está foragido, também foi beneficiado. Integrantes da Polícia Federal e Procuradoria da República em Tocantins começaram a analisar 1.250 quilos de documentos apreendidos nos escritórios de Maria Auxiliadora e Geraldo Silva.Maria Auxiliadora recebeu a notícia por meio de um advogado de outros envolvidos. Ela chorou bastante, afirmando que nunca esperava passar por um momento como esse. Depois de solta ela iria viajar para Belém em um avião de sua propriedade, pilotado pelo próprio marido. Ela deixou a cela especial onde estava e ficou esperando a chegada do alvará em uma sala, mas se negou a falar sobre o assunto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.