Sucesso de estudantes negros deve servir de exemplo, diz Lula

'Se desistir valesse a pena, eu não seria Presidente da República', afirmou, lembrando que perdeu três eleições

Fausto Macedo, de O Estado de S. Paulo,

14 de março de 2008 | 01h13

Os alunos da primeira turma de formandos de Administração da Universidade da Cidadania Zumbi dos Palmares (Unipalmares) devem ter suas histórias de sucesso destacadas pela imprensa, afirmou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em seu discurso na noite desta quinta-feira, 13. Lula foi escolhido patrono da primeira turma de formandos da universidade - a única instituição de ensino superior da América Latina que tem 87% de alunos negros. Ele afirmou que os estudantes "são um ótimo exemplo de que não vale a pena desistir". "Se desistir valesse a pena, eu não seria Presidente da República", afirmou lembrando que perdeu três eleições que disputou. Veja também: Ouça discurso do presidente na formatura da Unipalmares  Lula participa de 1ª formatura da UnipalmaresUnipalmares resgata dívida social do País, diz AlckminLula já está no Ibirapuera acompanhado de 6 ministros Alunos da Unipalmares conseguiram emprego antes do diploma Saiba mais sobre quem foi Zumbi dos Palmares Desigualdade no Brasil: raízes sociais ou raciais?   O presidente ressaltou, no entanto, que no País não deveria haver universidade de negros ou brancos. "Precisamos ser um país onde todos possam entrar na universidade, onde não haja disputa de cotas", disse Lula. Por mais de uma vez o presidente declarou que os alunos da Unipalmares devem servir de exemplo para outros jovens negros que, por preconceito, não vêem nos estudos um caminho de vida. "Mostrar o sucesso deles mexe com a auto-estima de outras pessoas que não tiveram as mesmas chances", afirmou.  Lula destacou a trajetória de duas estudantes do curso e falou que, assim como elas, outros alunos têm a mesma história, de famílias pobres que abriram mão de muitas coisas para manterem seus filhos na universidade. O presidente ainda disse que espera mais investimentos de seu sucessor, lembrando que até 2010 espera a inauguração de 10 novas universidade, 48 extensões universitárias, além de 214 escolas técnicas e profissionais. "Espero que meu sucessor faça o dobro", disse. Antes do discurso de Lula, o governador José Serra (PSDB) sugeriu ao reitor José Vicente a instalação de um curso de administração pública na Unipalmares. Ele garantiu que a universidade vai contar com o apoio decisivo do governo do Estado. "Quero fazer aqui, José Vicente, uma sugestão. Que vocês organizem um curso de administração pública porque isso faz muita falta na prefeitura, no Estado e no governo federal. Para isso, terá todo o apoio do governo do Estado". Paraninfos Logo no início da cerimônia, o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), paraninfo da turma, saudou Lula e o governador José Serra. O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), estava também à mesa, ao lado da primeira-dama Marisa Letícia. Alckmin chamou o reitor José Vicente de "sonhador que faz sonho virar realidade". "É um farol para o mundo todo a construção de uma universidade como a Unipalmares." Alckmin lembrou que acompanhou desde o início, em 2003, a instalação da universidade. "Hoje a gente vê uma universidade consolidada ajudando a resgatar uma das maiores dívidas sociais que o Brasil sempre teve", afirmou. "É uma universidade que é a síntese do amor e da justiça." Benedita da Silva, secretária de Ação Social do Rio, também paraninfa da primeira turma da Unipalmares, destacou que "apenas 2% de negros fazem parte da população universitária do Brasil". Segundo ela, 57,7% dos cidadãos negros têm renda inferior a R$ 1,5 mil, enquanto 20,4% de negros ganham acima de R$ 2,5 mil. Para a ex-ministra (Ação Social) do governo Lula, o Brasil vive "outro tipo de escravidão". Música Durante a cerimônia, Lula conversou bastante com José Vicente, que estava entre ele e Serra. O governador também puxou assunto com o reitor. O presidente aplaudiu bastante as exibições musicais e os 126 alunos que se formaram. Lula e o reitor entregaram um a um os diplomas aos formandos. A cerimônia começou às 21 horas, no Ginásio do Ibirapuera. Sete ministros prestigiaram o evento: Fernando Haddad (Educação), Alfredo Nascimento (Transportes), Márcio Fortes (Cidades), Edson Santos (Igualdade Racial), Miguel Jorge (Desenvolvimento), Luiz Marinho (Previdência) e Orlando Silva (Esporte). Lula e Serra chegaram juntos ao ginásio, com a delegação de ministros. Em uma sala reservada, conversaram um pouco. Em seguida, o presidente ficou com Marisa Letícia na sala vip. O senador José Sarney (PMDB-AP) e outros políticos se juntaram aos dois.  Conversas Alckmin conversava com Marisa, enquanto Lula formou uma roda com Serra, Kassab e os ministros Márcio Fortes e Miguel Jorge. O presidente dirigiu-se a Kassab, disse ao prefeito que ele está bem para uma campanha e elogiou sua forma física. Serra interveio: "Ele (Kassab) dorme cedo, quando é 9, 10 horas da noite ele já está dormindo." Lula comentou que a eleição em Porto Alegre vai "ser dura". Depois, o presidente e o governador falaram de investimentos e obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Essa reunião informal durou cerca de 50 minutos, até que Lula e outras autoridades se dirigiram à mesa para a cerimônia. O presidente passaria a noite em um hotel em São Paulo. Hoje, vai a Araraquara.  Texto atualizado à 1h55.

Tudo o que sabemos sobre:
UnipalmaresLulaeducação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.