Sucessão no RS põe Tarso e Berzoini em conflito

Os preparativos para a corrida eleitoral de 2010 no Rio Grande do Sul abriram no último fim de semana uma crise pública entre o presidente nacional do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP), e o ministro da Justiça, Tarso Genro (RS). O conflito começou após Berzoini afirmar, em entrevista ao jornal Zero Hora, que considera "prematuras" decisões sobre candidaturas nos Estados ainda este ano. Confira a íntegra da entrevistaA declaração foi feita em referência ao fato de Tarso ter registrado oficialmente no PT sua pré-candidatura ao governo gaúcho, no final do mês passado. Um dia após tomar conhecimento das declarações do presidente do PT, Tarso veio a público para cobrar um pedido de desculpas. "As declarações são constrangedoras e ofendem todo o partido no Estado", declarou o ministro,ao mesmo jornal. Ontem, em entrevista à TV Estadão, Berzoini não aceitou a cobrança. Questionado se acredita que deve desculpas a Tarso, rebateu: "Temos de trabalhar com tranquilidade. Esse tipo de debate público não interessa ao PT nem ao ministro."Ainda assim, ele reafirmou as declarações do fim de semana. Disse que a prioridade no partido é o calendário para a eleição presidencial de 2010, que prevê definições como a política de alianças nacional. "Qualquer decisão antes disso, seja sobre política de alianças ou sobre candidaturas, é uma decisão provisória".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.