Sucessão estadual: expectativa no encontro tucano

A grande expectativa no VII Encontro Estadual do PSDB era que o partido anunciasse o nome do governador em exercício Geraldo Alckmin como candidato ao governo do Estado de São Paulo em 2002. "Todos nós do PSDB temos dito com clareza que vamos continuar unidos para fazer o sucessor de Mário Covas no governo estadual, mas não estamos personificando isso", disse José Aníbal, outro nome já citado como pré-candidato. "É natural que ele, por ser vice-governador, tenha posição destacada na sucessão, podendo ser candidato pelo seu mérito, competência e credibilidade conseguida na campanha para Prefeitura", comentou Aníbal. O secretário, no entanto, explicou que não está na disputa. "Não sou candidato a nada. Quando acho que posso disputar, eu coloco isso para o partido", afirmou. "Hoje, essa é uma discussão fora de propósito", apontou. Ele preferiu não comentar sobre a disputa para a presidência nacional do PSDB. "Não falo sobre essa questão agora", concluiu.Por enquanto, apenas a deputada federal Zulaiê Cobra Ribeiro assumiu oficialmente que quer disputar a eleição de 2002 para o cargo de governador do Estado. "Sou pré-candidata, sim. A mulher nunca se coloca, e quando se coloca, faz isso na última hora", afirmou. Ela disse que enfrentará sem problemas a convenção que decidirá qual o nome indicado para a eleição em 2002.A deputada está articulando a formação de um grupo para manter unidas as mulheres do PSDB ? 200 pessoas, aproximadamente - que já disputaram eleições. Ela quer incentivá-las a entrar novamente nas disputas. "Queremos colocar uma mulher na presidência regional e vamos disputar também a presidência nacional. Temos de exigir a presença da mulher na Executiva", comentou. A participação da mulher foi um dos temas de debate do encontro estadual do partido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.