Sucessão de Renan pode acontecer este ano, diz líder do PMDB

Valdir Raupp diz acreditar que a votação dos processos contra Renan vai 'abrir caminho' para a sucessão

ANA PAULA SCINOCCA, Agencia Estado

09 de novembro de 2007 | 18h34

O líder do PMDB no Senado, Valdir Raupp (RO), afirmou nesta sexta-feira, 9, que com a possibilidade de os processos contra o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), serem concluídos até o dia 22, a sucessão na Casa poderá ser deflagrada ainda neste ano.   "Se puder resolver isso até o dia 22, será muito bom para todos. Pelo menos já resolve o problema da sucessão, se é que o senador Renan vai se afastar definitivamente da presidência. Essa é uma decisão que ele deverá tomar no final da sua licença, aí abre caminho para o processo de sucessão", afirmou.   Veja também:   Cronologia do caso  Entenda os processos contra Renan    O PMDB já dá como certa a decisão de Renan de abrir mão em definitivo do cargo. Raupp disse acreditar que a votação dos processos contra o peemedebista vai "abrir caminho" para a sucessão.   Raupp reiterou que o novo presidente do Senado sairá da bancada do PMDB, já que o partido reúne o maior número de parlamentares na Casa. Apesar de negar que esteja articulando a sucessão de Renan, o líder disse esperar que um "nome de consenso" seja escolhido dentro do partido.   "Duas semanas é tempo mais que suficiente. Eu acho que até o dia 22 há tempo para votar no Conselho de Ética e, se preciso, votar no plenário do Senado", afirmou. Os processos contra Renan só vão chegar ao plenário da Casa se um dos três relatores recomendar a cassação do peemedebista --e o texto passar no plenário do conselho.

Tudo o que sabemos sobre:
Caso Renan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.