Substituto de Stephanes nega irregularidades na Conab

O novo ministro da Agricultura, Wagner Rossi, chegou hoje ao Palácio do Itamaraty afirmando que não cometeu irregularidades no período em que presidiu a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). "Não há irregularidades e por isso o presidente não me cobrou nada", disse ele, bastante irritado, ao ser questionado se teria conversado com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre supostas irregularidades.

FABÍOLA SALVADOR, Agência Estado

31 de março de 2010 | 11h56

Segundo denúncia publicada na edição de hoje do jornal O Globo, Rossi, como presidente do órgão, distribuiu e loteou vinte cargos, que deveriam ser técnicos, a aliados políticos. Muitos deles, conforme o jornal, nem mesmo vinham a Brasília, onde funciona a sede da Conab.

Rossi afirmou aos jornalistas que não cometeu nenhuma irregularidade ao nomear seus assessores. Disse também que apresentou todas as justificativas ao Tribunal de Contas da União (TCU), que apontou irregularidades em sua gestão. Rossi disse que ele e o presidente conversaram sobre a continuidade dos trabalhos do Ministério da Agricultura. Ao final do encontro, preferiu deixar o Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB) por uma porta secundária, para evitar a imprensa.

Logo depois, o novo titular da pasta se dirigiu ao Palácio do Itamaraty, onde participará da sua e da posse de outros dez ministros. Rossi irá ocupar o cargo em substituição a Reinhold Stephanes, que disputará a reeleição para deputado federal pelo Paraná. Ele informou ainda que o nome do seu substituto na Conab deverá ser escolhido nos próximos dias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.