Substituto de Renan diz que falar em sucessão atrapalha CPMF

Presidente interino, Tião Viana deve convocar reunião na próxima terça para analisar nova representação

Agencia Senado

19 de outubro de 2007 | 17h20

O presidente interino do Senado, Tião Viana, admitiu nesta sexta-feira, 19, que discutir a sucessão na Presidência do Senado, neste momento, pode prejudicar o encaminhamento da votação da PEC da CPMF e das matérias que pretendem imprimir maior transparência à atuação parlamentar, como as proposta relativas ao voto aberto.   Veja Também:   Cronologia do caso  Entenda os processos contra Renan    Na próxima terça-feira , ele deve convocar reunião da Mesa do Senado, a se realizar pela manhã, para analisar as duas últimas representações apresentadas pelo PSOL pedindo abertura de processo por quebra de decoro com o presidente Renan Calheiros (PMDB-AL) e o senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG).   Sexta representação   O PSOL entrou com a sexta representação  contra o presidente licenciado do Senado, Renan Calheiros (PMDB), às 14h30, nesta quinta-feira, 18. "Protocolamos a representação na Mesa Diretora do Senado nesta tarde",confirmou o advogado e assessor da liderança do partido ao estadão.com.br. O PSOL é autor de quatro das cinco representações contra Renan que estão no Conselho de Ética.      A sexta denúncia teve origem em reportagem do Estado, publicada no último domingo. De acordo com a reportagem, Renan teria feito uma emenda orçamentária, em 2004, no valor de R$ 280 mil para a execução de obras feitas por uma empresa fantasma.  

Tudo o que sabemos sobre:
Caso RenanCPMF

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.