Ricardo Barbosa / ALMG
Ricardo Barbosa / ALMG

Substituto de Lacerda, Adalclever Lopes fica de fora da divisão de tempo eleitoral em MG

Candidatura do emedebista no lugar do ex-prefeito de Belo Horizonte foi anunciada somente nesta quinta-feira, 23

Jonathas Cotrim, O Estado de S.Paulo

23 Agosto 2018 | 22h57

BELO HORIZONTE - O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG) decidiu nesta quinta-feira, 23, que a coligação do candidato ao governo de Minas Gerais, Adalclever Lopes (MDB), anunciada nesta quinta-feira, 23, não participará da divisão do tempo de propaganda eleitoral no rádio e televisão, marcado para esta sexta-feira, 24. Cabe recurso.

O tribunal decidiu tirar a coligação “#MinasTemJeito”, formada por MDB, PRB, PV, Podemos, PROS e PDT, por conta da presença do PSB. Após o acordo nacional entre o partido e o PT, o ex-prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda, teve que retirar a candidatura ao governo de Minas Gerais. No entanto, Lacerda tentou obter na Justiça a possibilidade de manter a candidatura, mas renunciou a disputa na última terça-feira, 21.

“Ressalte-se que o candidato a Governador, Márcio Araújo de Lacerda, renunciou à sua candidatura, não havendo até o momento requerimento de substituição, circunstância também levada em consideração para a decisão”, afirmou o juiz Ricardo Matos de Oliveira, relator do processo.

Por conta dessa indefinição, o PSB também estava inscrito na coligação para reeleição do governador Fernando Pimentel (PT), junto com PT, PCdoB, DC e PR. Com a decisão do TRE, os pessebistas agora ficarão apenas na coligação petista.

Apesar da decisão do TRE, a coligação ainda pode entrar com um recurso pedindo a redivisão do tempo de propaganda eleitoral.

Por meio da assessoria de imprensa, Adalclever Lopes disse que “não existe nenhuma preocupação” sobre a decisão do TRE. “Essa distribuição do horário do TRE vai ser notificado assim que for registrado a nossa coligação. não é definitivo, isso pode ser alteradoaté o final da campanha”, afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.