Substituto de Arruda admite conflitos com PFL

O substituto de José Roberto Arruda, senador Lindberg Aziz Cury (PFL) admitiu hoje que há conflitos entre as suas convicções e as do seu partido, mas que vai defender o apoio à CPI da Corrupção no Senado junto à direção nacional. Demonstrou, no entanto, não ter conhecimento dos detalhes dos casos apontados no requerimento para a instalação da comissão parlamentar. ?Admito que vivo um conflito intenso entre as minhas convicções e as do partido. É uma decisão que tenho que meditar muito?, afirmou, após a indagação dos repórteres sobre se ele tinha conhecimento de que o seu apoio poderia ser decisivo para a criação da comissão e que o PFL já vinha orientando seus integrantes no Senado a não apoiá-la.Lindberg, que deu entrevista hoje de manhã no gabinete do ex-senador José Roberto Arruda, voltou a solidarizar-se com o ex-tucano e, além de anunciar sua intenção de apoiar sua filiação ao PFL, atribuiu ao PSDB a decisão de ele renunciar. ?A primeira condenação foi do seu próprio partido. O PFL solidarizou-se com Antônio Carlos Magalhães e o PMDB não expulsou Luiz Estevão apesar de ele ter sido cassado?, disse.O empresário espera tomar posse na segunda-feira e confirmou que pretende continuar alguns projetos de Arruda. Disse que, depois que o ex-senador decidiu renunciar estava mais animado, até espirituoso. Lindberg chegou a receber uma recomendação bem humorada de Arruda: ?Siga as minhas linhas, mas pelo amor de Deus não mexa no painel.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.