Subordinado de ministra atua em sindicância

A comissão de sindicância criada para identificar "o infiltrado" - como setores do governo chamam o funcionário responsável pelo vazamento para a imprensa do dossiê sobre os gastos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso - começou a convocar os servidores que são alvo da investigação. Um dos integrantes da comissão é corregedor-geral substituto da Advocacia-Geral da União (AGU), Edimar Fernandes de Oliveira. Ele já atuou na sindicância que em 2004 investigou Waldomiro Diniz, homem de confiança do ex-ministro José Dirceu, flagrado cobrando propina do empresário de loterias Carlinhos Cachoeira. A comissão não chegou a conclusão alguma nem puniu Waldomiro.A comissão é composta ainda pelo corregedor-geral-adjunto da União, Waldir João Ferreira da Silva Junior, e por Carlos Humberto de Oliveira, que está lotado na Casa Civil e é subordinado à ministra Dilma Rousseff e a sua secretária-executiva Erenice Guerra. A comissão tem 30 dias para apresentar resultado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.