Subida em pesquisa impulsiona arrecadação de Marina

O crescimento nas pesquisas de intenção de voto está dando um novo impulso à arrecadação da campanha de Marina Silva (PV) à Presidência da República. Segundo a coordenação da campanha, desde que as sondagens apontaram que Marina é a única a crescer, em meio às denúncias de tráfico de influência no governo federal e o vazamento de dados da Receita Federal, a candidatura vem recebendo mais doações de pessoa física, mais acessos no site oficial e mais seguidores na rede de microblogs Twitter.

DAIENE CARDOSO, Agência Estado

23 de setembro de 2010 | 20h44

Em duas semanas, o número de e-mails com declaração de apoio à candidata do PV cresceu de uma média de 50 por dia para 400. "Nós crescemos muito no acesso ao site, passamos a Dilma", comemorou o coordenador da campanha, João Paulo Capobianco, ao lembrar que o site oficial era o segundo em número de page views. De agosto para setembro, o número de acessos cresceu 67%. No período de 16 a 22 de setembro, comparado com o mesmo período de agosto, a alta foi de 110%.

Antes, o número de seguidores no Twitter aumentava, em média, em mil por dia. Agora, Marina recebe 2.005 seguidores diariamente. Hoje, a candidata superou os 220 mil seguidores - ontem tinha 216 mil. A candidata já se aproxima da petista, que tem hoje 228 mil (a diferença entre as duas chegou a ser de 30 mil seguidores), mas ainda está longe de ultrapassar José Serra (PSDB), que tem 441 mil.

Na ferramenta de busca Google Trends, Marina também ultrapassou seus adversários no volume de pesquisas em seu nome. "A internet trouxe muita gente de volta para a mobilização política", disse Marina, hoje, no Twitter. "Já somos 13% (pesquisa Datafolha) e isso sem alianças incoerentes, sem tempo na TV e sem apostar no vale-tudo eleitoral."

Com mais visitantes no site oficial e mais seguidores no Twitter, as doações por cartões de crédito cresceram 50%, afirma Capobianco. Até a última semana, a arrecadação via web não ultrapassava R$ 100 mil e hoje o valor atingiu R$ 134.115.

O aumento da procura na internet também é sentido nos comitês de campanha, onde já falta material. "A busca de material cresceu brutalmente", disse Capobianco. Nas ruas, o número de participantes nos eventos cresceu, a ponto de Marina não conseguir hoje, em corpo a corpo em Cuiabá, terminar o percurso de uma caminhada porque era parada para tirar fotos e cumprimentar eleitores. "Hoje ela não conseguiu percorrer os 800 metros previstos em Cuiabá", disse o coordenador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.