Suassuna diz que é massacrado há 131 dias

O senador Ney Suassuna (PMDB-PB), em depoimento ao Conselho de Ética e Decoro Parlamentar do Senado, disse que há 131 dias vem sendo massacrado por veículos de comunicação do país. Segundo a Agência Senado, Suassuna informou que ele próprio solicitou à Corregedoria do Senado que investigasse as acusações antes do início formal da apuração das denúncias e negou que tenha feito pressão junto ao partido para livrá-lo das investigações. O relator do processo, senador Jefferson Péres (PDT-AM), quis saber do parlamentar os motivos que o levaram a contratar Marcelo Cardoso Carvalho para trabalhar em seu gabinete.Marcelo foi acusado pelo empresário Luiz Antonio Vedoin, dono da Planam, de ter recebido propina para intermediar emendas ao Orçamento da União que favoreceriam a compra de ambulâncias a preços superfaturados. "Soube do assunto da sanguessuga pela rádio CBN em maio de 2006. Pedi à minha chefe de gabinete que demitisse os dois funcionários. Eles estavam de férias e não puderam receber os atos de demissão com data do dia 4 de maio, informou o senador pela Paraíba".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.